You are currently browsing the monthly archive for maio 2012.

Guardo essa tristeza
Sob os botões da camisa

Sob a alegria da cor
Do tecido espesso

Escondo essa tristeza
De mim mesmo
Não quero pensar
No que ela significa

Guardo essa tristeza e ela
É só minha

Escondo de mim
E do mundo

Bem no fundo
De um sorriso

Everton Behenck

Anúncios

De que adiantam presentes
Se não me preserva

De que servem tantas
E tantas palavras

Que não significam nada
Além de suas letras

Os dentes mudos
E analfabetos

Do afeto

De que adianta
Teu cuidado

Voltado para o íntimo
Instinto

Que acima de tudo
Te preserva

Everton Behenck

Eu, ___________________
Juro amar-te

E compreender que isso

É não negar teu medo
Ou o que pode atrair teus olhos

Em segredo

Juro admirar tua alegria
E da mesma forma

Tua incapacidade

Você é maior
Justamente no que não pode

E juro amar essas lacunas
E respeitar esse espaço

Onde meus olhos
Não encontrarão respostas

E preencher de amor
E não de lágrimas

O que não entendo

Nem sempre
Estaremos

E sempre haverá alguém
Para colocar o amor a prova

O amor se renova
No que fazemos

Quando o outro não está vendo

Juro amar-te

E estar perto
Quando faltar afeto

O mundo não será justo
E tentará de muitas formas

Nos diminuir
E maltratar

O mundo não entende
Que duas pessoas

Existam somente
Uma dentro da outra

Juro amar-te

Na frieza alheia
No espaço vazio

No vão entre os cílios

No olhar partido
Da ausência

Na palavra
Mais cara

Para que o amor
Seja minha assinatura

Neste espaço
Do tamanho de um abraço

Que é a vida

Juro amar-te
Para que

Te amando
Nós dois sejamos

Mais
E tanto

Everton Behenck