You are currently browsing the monthly archive for março 2010.

O que faria
Minha alegria

Sem ti

Se é em teus olhos
Que vejo tudo mais nítido

Continuo aflito
Mas muito mais bonito

Em teus cílios

Só consigo ser
Possível

Em teu riso

Everton Behenck

Anúncios

Prefiro
Os sentimentais

E ridículos

Aqueles que se despem
A cada palavra

A boca desabotoada

Prefiro os que desabam
Os que não podem

Os que se fortalecem
No que é frágil

Para que seja possível

Prefiro
Os que choram aflitos
Abraçados ao invisível

Everton Behenck

Esse suor nas mãos
É o tato chorando

É o dedo
Indicando a tristeza

É um choro esquerdo
Ou direito

Esse tremor
É o soluço das mãos

É a solidão
Fora das mangas

Essas gotas nos pés
São os caminhos

Entristecidos

Esse suor na testa
Ë o rosto todo

Chorando

Everton Behenck

Só posso dizer
Com certeza

Dessa carne
Insultada

Por saber seu fim

Só posso repetir
Como quem reza

Essa vontade
Que tudo o que vive tem

De existir

Fico aqui
Nesse não saber

Estático

Um cego perdido
Tateando o infinito

É bonito
E dolorido

Saber que não é possível

Everton Behenck

Logo você estará
Mais bonita

Do que esteve comigo
Nos momentos mais íntimos

Logo tuas virtudes
Serão mais brilhantes

Do que eram antes

Em poucos dias
Tua alegria

Dirá que te ama
Mais do que dizia

Em minha cama

Logo tuas dores
Parecerão menores

No que meus braços
Já não acolhem

Logo será enorme
Sua fome de vida

E pensará que eu
A distraía

Dessa vigília
Para vê-la

Logo estará cheia
De horas vagas

E lágrimas novas
Esperando outras tristezas

Logo acreditará
Mais do que acredito

Logo fará consigo
Tudo isso

Que faço comigo

Everton Behenck

E se eu não puder te encontrar
Mesmo que te invente

E se essa invenção
Me devorar

Com os dentes

De tudo que coloquei em ti
E não tenho

E se não houver
Um lado de dentro

Para que eu tente
Me esconder em teu ventre

E se esse parto ausente
Me deixar eternamente

Entre

E se tudo isso
Que insisto

For mesmo impossível

Já vai longe o início
E só tenho essa tua pegada

Inventando a estrada

Everton Behenck

Corre calma
Lá fora

A noite

E não diz nada

Aqui
Na solidez das paredes do quarto
Sou concreto e inerte

Incapaz de um pensamento
Que liberte

Cada ser sonha
A seu modo

Nessa vida
Sem serventia

E eu aqui
Entre as paredes do quarto

Sonho estar realmente
Em algum lugar

Everton Behenck

Esse gole
É só um jeito

De medir a distância

Cada copo
Um passo

Sem saber se vou ou volto

De onde venho quando
Acordo?

Everton Behenck