Sempre tive a impressão

De ser azul

 

Quase sem querer

 

Enquanto um amor

Amarelava as formas

 

Entre as mãos

 

Sempre tive a impressão

De ser azul

 

Mesmo sem querer

 

Vendo o olhar

Avermelhar

 

E o suspiro enegrecer

 

O ar azul

 

Sempre tive a sensação

De azular

 

Mesmo quando a carne

Rósea

 

Se desfez

Púrpura de prazer

 

Tocava um blues

Evertom Behenck

*Este vai ser publicado no livro comemorativo do aniversário da Gráfica Trindade que reuniu diversos artistas gaúchos. Quem viu o projeto gráfico disse que ficou lindo.

Anúncios