Desde que a Maria disse a primeira vez um poema meu eu penso nisso.
Em um poema que ela dissesse antes de qualquer um ler. Que fosse assim escrito com a voz dela. Então numa noite daquelas em que tu passa por todos os sentimentos me acontece esse poema. E eu meio bêbado não penso duas vezes. Mando pra Maria no meio da noite mesmo, sem revisar nem nada. E ela gravou. E ele ta aí.

E ainda me ajudou a passar a limpo pra chegar no que eu queria dizer.

Com uma palavra me deu ainda mais voz. Valeu Maria.

Depois eu posto o texto pra quem quiser.