Depois de tanto vagar
E tanto trocar de pele

Réptil de sangue quente

Depois de tanto cair
E tão pouco voar

Depois de tanto voltar

Para onde voltava?
Pássaro sem instinto?

Depois de desencontrar os ossos
Para caber

Depois de tanto doer
E de tão pouco sentir

Depois de tanto sumir
E nunca mais aparecer

Fantasma com ossos
Para quebrar

Antes do exorcismo

Que padre viria
Por teu espírito

Sem fé no que é eterno

Depois de tanto rezar
Sem saber oração

De tanto ver deus
Ser criado e morrer

Depois de tanto chão
Pisando os pés

Depois de tanto perder
O céu

E escurecer

Eu encontrei você

Anúncios