Aquele menino
Já sabe o que é
Não ter paz

Sente

Que dentro de si
O tempo passa
Muito mais rápido

São anos correndo
Em seu choro lento

Nasce dentro do menino
O homem

Dentro do homem
O velho

Aquele menino
Tentando falar

Por entre os restos
De dignidade

No gesto desesperado da mãe
Frente ao silêncio do pai

Aquele menino
Tentando ser justo

Na balança dos lábios
Pequenos

Não quer marcar ninguém a ferro

E como queimam
As palavras das crianças

Aquele menino
Mede suas lágrimas

De criança farta

E vai passar a vida
Dizendo que não foi nada

Mas serão incontáveis as vezes
Que pensará nisso a noite

E logo se voltará
Para as pequenas coisas da casa
A mulher amada
O filho que terá um dia

Mas que agora

Não passa de uma criança
Feita de sombra

Aquele menino
Que levanta as mãos

E as abaixa

Com a pressa mágica
De sentir-se capaz

De dizer com o ar

Aquele menino que está
A milhares de quilômetros de mim

Tentando conciliar os pais
Dentro de si

Aquele menino
Onde alguma coisa
Se perdeu

Sou eu

Everton Behenck

Anúncios