A solidão
Do osso sob a carne

Da pálpebra no avesso dos olhos

Dos poros
Milimetricamente
Isolados

da língua
Sem companhia

A solidão da orelha esquerda
Em relação a direita

A solidão do pelo
Entre as sobrancelhas

Do cílio perdido

Procurando abrigo
Dentro do olho

Apartado pelo sopro

A solidão do estômago
Vazio

A solidão
De cada célula

Que já não se regenera

Everton Behenck