São meus por direito
Todos os clichês de amor

É meu o sonho
Flor na lapela

De estar ao lado dela
Vida a fora

Que a vida não se demora
A passar

São meus
De agora em diante

Todas as flores
Vermelhas

E são de minha autoria
Todos os bilhetes

Mal escritos

Como é bonito
Um bilhete ridículo

De amor

São minhas
As caixas de chocolate
E as fitas perdidas
Em laços desfeitos

São meus por direito

Todos os suspiros
Embaçando os vidros
Da janela

Na ausência dela

São meus os fogos de artifício
O algodão doce de circo

É meu o sucesso
Antigo

Na madrugada do radio
Com tradução simultânea

De esperança romântica

São meus por direito
Todos os clichês

E só o amor sabe
Porque

Everton Behenck