Fazei com que eu tenha força
Para carregar esses músculos
E litros de sangue

Que tem o peso imenso
Do tempo

Correndo

Me permita ter fé
De que a natureza

Sem saber o que é justo
Fará o que é preciso

E me conceda a graça
De ser perdoado

Porque não acharei justo ou certo
Meu fim

Por mais natural que seja

Me conceda paz
Sem que isso signifique

Cuspir a voz
Desistir do olhar
Ou de uma certa fé

Particular

Pelas coisas
Que os homens fazem

Simplesmente
Porque não sabem

Não me deixe
Levantar a ira

Sobre o que não tem culpa
De existir

E sendo assim
É completamente inútil

A ira

E não gostaria
De arrastá-la

Pela vida

Me permita
Amar um pouco mais

Seja isso
Um sorriso no escuro
Ao deitar

Ou apenas uma maneira
De expandir as costelas

De uma forma
Que não seja percebido
Apenas o oxigênio

Do lado de dentro
Do peito

Desejo
Que me seja concedido
Um último pedido

Que guardarei em segredo
Como se tivesse a força
De quem ainda acredita

Em orações

Everton Behenck

Anúncios