Escreverei
Até a última linha

Deste poema

Que se debate
Como uma criança contrariada

Quem te ensinou
Esses olhos
De tanto nada

Criança maltratada

Que não sabe
Sobre ter pai
Nem mãe

Nem madrasta

Você chora sua lágrima
Ensaiada

Na linha esticada
Contra a sua vontade

Te arde esse verso

Eu percebo
Mas é medo

De criança

Pânico
De que essa palavra

Te faça
Adulta

E ser gente grande
É grande demais

Mas olha pra isso
Criança

Que escrevo
Com tuas tranças

É uma cantiga
De infância

Isso tudo

Que os adultos
Em seu medo

Dão o nome
De segredo

Everton Behenck

Anúncios