Esse desejo
De morar em frente a uma praça

Ver brincar uma criança
Que nunca saberá

Do que é feita a infância

Essa vontade de acreditar
Que somos inocentes

E que cometemos nossos erros
Por medo e desejo

De que tudo se quebre

Para quem sabe
Acabar logo

A angustia

De andar no escuro
Do mundo

Somos apenas um vulto

Mas até para isso
É preciso luz

Entrando

De algum canto

Everton Behenck