Suba no ponto
Mais alto

Da tua consciência
E salte de cabeça

Desça ao que há de profundo
Onde está isso tudo

Que somos

Conhecidos e estranhos
No mesmo corpo

Desça
Mesmo que o ar te falte

Mesmo que escureça
Em tua profundidade

Descubra teus naufrágios
Tuas moedas perdidas

Tuas correntes marítimas

Navegue em tua entrega
Continente

Do que sente

Há de ter oxigênio o bastante
Há de encontrar tua própria Atlantis
Há de conhecer essa civilização perdida

Com sua própria língua

Depois
Venha à tona de si

Que eu estarei aqui

Everton Behenck

Anúncios