Então morri

A exatos três quartos
Entre uma e outra hora

E agora

De que serviu
O tapa na cara

Na caligrafia da raiva

De que adiantou
Procurar sentido
Atormentando o espírito

Que não acho

Nem sob
Nem sobre

O corpo morto

De que importa
O sucesso que não tive

O reconhecimento
Que não me ofereceram

Não interessa

Se havia dinheiro
No bolso que agora
Jaz vazio

Sobre meu frio

De que serviu
O verso

Que foi impresso
E o que ficou inédito
Em minha língua

A poesia

Não é uma continuação da vida
Como eu queria

Ninguém me conhecerá
Ou conhece
Através do que minha mão

Já não escreve

Mas felizmente
Não dói assim

Tanto

Acordar morto

Everton Behenck

Anúncios