Quem agora
Espera uma palavra?

Pensando
Que seria tão dolorido

Estalar os dedos
Na mão trançada

Dizendo:

Não há de ser nada
É a vida

Vamos em frente

Quem espera uma palavra
Espera sob a pele

O silêncio testando o tato
Palmo a palmo

O verbo como uma faca
Pulando entre os dedos
Do silêncio

Cada vez mais rápido

Quem agora
Espera uma palavra

Tentando esquecê-la?

É tão bonita
A brincadeira

A espera
E a quarta feira

Nesse esconde esconde

Everton Behenck