Já vi poesia
Na novela das oito

No choro falso
De um ator cansado

Já vi poesia
No intervalo
Entre um soco e outro

Que me marcou
Um verso no rosto

Em uma violência domesticada

Já vi poesia
Na escada
Que levava para uma porta

Trancada

Já vi poesia na palavra
Que me fugiu
E não foi encontrada

Já vi poesia no que não vale nada
Além de um verso

Everton Behenck