Há algo dentro desse corpo
De carne e osso

Há algo que espreita
Que estranha

As entranhas

Orações
Que rezo

Me encolhendo como um feto
Enquanto durmo

Há alguém passando uma caneca
Na grade das costelas

Há muitos bichos
Repetindo seus grunhidos

No escuro

Há algo nesses sussurros
Do corpo

São muitos monstros

Que nos são
Mais do que somos

Everton Behenck

Anúncios