A vida é uma vadia
Que te rouba a carteira

A vida é uma freira
Que levanta o hábito

É uma santa
De olhos fechados

Uma criança mimada
Contrariada

A vida é uma professora
Que não sabe nada

De didática

A vida é uma virgem
Cheia de tédio

Entre as pernas

A vida é uma velha
Sem paciência

Em sua inocência

A vida é uma menina
Onde tudo ainda

Brilha

A vida é uma puta
Apaixonada

E fiel

A vida é uma adultera
Cheia de certeza

Em sua frieza

A vida é uma mulher
Doente de beleza.

Everton Behenck

Anúncios