Ela bebeu
A água dos meus olhos
E seu beijo passou a dizer versos

De amor

Eu toquei seus medos
Com a ponta dos dedos
No canto dos olhos

Azuis

E minha mão aprendeu a consolar
E seu rosto perfumou
Em um sorriso para mim

Ela engoliu meu corpo
Como se fosse
De lá que viesse

A vida

E dentro dela nasceu uma prece
Para que nada em nós

Morresse

Everton Behenck