Esse meu desajeito
Para as coisas do peito

Aprendi a desconfiar
Antes de cada

Bater de asas

Não sei
Desabotoar as costelas

Só as calças

E ainda assim
Queria tanto me vestir

De ti

Esteja onde esteja
Quem quer que seja

Me receba

Com aquela velha frase
De que tudo se ajeita

Na beira daquele velho abismo
De que tudo é possível

Em um amor bonito

Everton Behenck

Anúncios