Fica
Esse pressentimento do orgasmo
O falo

Duro
Essa impossibilidade insana
Da cama

Resta
Essa condescendência com a
Memória

A imaginação
Em sua ereção entrando lentamente
Entre tuas pernas

Resta
O movimento imaginado do quadril
Circular

Ciranda
Da cama despida de pudores
Das cores

O vermelho
Sangue na veia pulsando desejos
Secretos

Tocando
O fundo do colo colorindo
Os olhos

De brilho
Do corpo movendo os seios
No ritmo

Inteiro
Que a mão impõe à nuca
Os dedos

Buscando
O conhecimento de cada canto
Secreto

Até que
Na boca atira-se toda a convulsão
Do corpo

Que goza
Entre os lábios despidos do idioma
Uma lembrança

Everton Behenck

Anúncios