Há que se duvidar
Do amor

Ou ele te transpassa
Com seu passo
De olhar atrasado

O futuro

Derruba seus muros
Invade suas terras
Queima a colheita

Com uma cama desfeita

Há que se duvidar
Do amor

Ou ele
Te rouba os passos na casa

Derruba o sono

Enrolando as horas
Em seu pescoço

Há que se duvidar
Do amor

Sempre

Ou ele
Te corta rente

Ao chão

Na vingança
De um sorriso

Há que se duvidar
Do amor

Ou ele bate em seu rosto
Para que acorde do sono

O amor não é para todos

Há que se duvidar do amor

Amando

Everton Behenck

Anúncios