Estou frágil
O aço
Retorcido

Dos cílios

Desenhando corações
A lápis

Onde os dedos se desfazem

Estou frágil
A ponto de rasgar os braços
Ao menor abraço

Estou fraco

As costas em um arco
Descendente

O peito transpassado
De pesar e passado
Estou frágil

E é fato consumado

Consumido
Pelo que está perdido
E ainda assim presente
O olho ausente

Rente ao meu

Everton Behenck

Anúncios