Sou isso
Que não suporta
A companhia

Passo ímpar

Solidário
Ao próprio destino

De ser tão sozinho

Sou isso
Que não encontra

E se consola
Com a própria fala

De amor

Sou esse nômade

Sempre partindo
Sem saber
Para onde se mudou a tribo

Sou isso
Que fica aqui
Comigo

Quem não espera
Ser encontrado

O que foge
Mas não escapa

Que apagou o xis do mapa

Sou esse
Que só aprendeu a estar

Consigo mesmo

Analfabeto do pertencimento

Everton Behenck

Anúncios