Do labirinto
Não me interessa a saída
E sim o caminho

As paredes espessas
Que o olhar não atravessa

Os becos
A seta

Que nunca leva
Para onde aponta

Me interessa acalmar o passo
Porque a pressa

Cega o caminho

Do labirinto
Me interessa a volta

Tortuosa

Que não significa
Mais que sua curva

Que leva a olhar
Atrás de si

E nas próprias costas
Reconheço

Cheio de afeto

Um Eu inverso

Everton Behenck

Buenos Aires 05/07/07

Anúncios