Como se diz à pele

Que não se entregue?

 

Como pedir à mão

Que guarde para si

Esse punhado de carinho?

 

Que amanhece cada dia mais bonito

 

Se já não é possível

Esconder seu brilho

Entre os dedos

 

Nem desfazê-lo

 

Como exigir da boca

Que não corra ao teu encontro?

 

Procurando

O beijo

 

Que diz mais alegria

Do que qualquer palavra diria

 

Como seriam tristes

Os lábios

 

Nada pior que um beijo

Calado a força

 

Esperando a moça dar as costas

Sem dizer adeus

 

Tentando guardar o gosto

Para que tua boca não se despeça

 

Mesmo que desapareça

 

Como cobrar dos braços

Que não procurem tua cintura?

Se eles só sabem

Pender ao lado

 

Depois de um abraço

Teu

 

E toda a força

Se esforça

Para que você continue perto

 

Os braços só querem

Te trazer para junto do peito

 

Como pedir ao olhar

Que desfaça seu brilho?

 

Se até quando olha o espelho

Procuram teus olhos

 

Dizem alto

Tua falta

 

Não querem o silêncio de sal

Da lágrima

 

Como se diz ao corpo?

Como se deixa claro?

 

Que ele não pode estar apaixonado

Everton Behenck