Desculpe

Dizer adeus assim

Na lágrima de um verso

 

Mas não quero

Um amor repleto

De impossibilidades

 

Amor fim de tarde

Sempre esperando

Chegar sua noite

 

Sol se pondo

Em nosso horizonte

 

Não existem estrelas

Nao há lua

Que ilumine

 

Essa distância que nos divide

Em dois

 

Tão diferentes

 

Esperando em vão

Se descobrir na boca

 

Alheia

Na mão que tateia

 

E não encontra pouso

Em teu rosto

 

Porque não estamos

 

Porque não passamos

Na verdade

De um sonho

 

Que já vai amanhecendo

Everton Behenck